ofertas

DICAS "TIROLEZ"(SAÚDE)

|
Queijos e seu importante papel na prevenção da osteoporose
Carolina Borges Duarte – Nutricionista CRN3. 21567 – Tirolez Queijos
Entendendo melhor a osteoporose
A saúde óssea é mantida através de um constante e equilibrado sistema de remodelagem óssea no qual os tecidos velhos, enfraquecidos por microfraturas, são substituídos por tecidos novos. Um desequilíbrio neste sistema leva a várias complicações entre elas a osteoporose (McCORMICK, 2007).
A osteoporose caracteriza-se por uma perda de massa óssea acompanhada de uma deterioração da microarquitetura do tecido ósseo, que tem como conseqüência um maior risco para ocorrência de fraturas devido à fragilidade do osso (NIEVES, 2005).
A osteoporose vem se mostrando mundialmente como um importante problema de saúde pública, responsável pelo aumento da mortalidade e perda de habilidades funcionais ocasionadas pelas fraturas (NATIONAL OSTEOPOROSIS FOUNDATION, 1997).
No Brasil observa-se que a população com predisposição para o desenvolvimento da osteoporose aumentou de 7,5 milhões em 1980 para 15 milhões no ano 2000, chegando a ocorrer em cerca de 35% das mulheres com mais de cinquenta anos (KIDA et al., 1999).
Ingestão de Cálcio, Vitamina D e Saúde Óssea
O cálcio e a vitamina D, são os principais nutrientes responsáveis por garantir a saúde óssea. O cálcio é a matéria-prima para formação dos ossos, já a vitamina D atua como um importante coadjuvante mantendo as concentrações de cálcio e magnésio no organismo, pelo aumento da absorção destes minerais oriundos da dieta. O equilíbrio destes minerais é necessário para manter um processo de mineralização óssea normal (ANTUNES & PACHECO, 2009).
 A baixa ingestão destes nutrientes provoca uma menor absorção de cálcio e menor concentração deste mineral no sangue. Este quadro aciona mecanismos que atuam no processo de remodelagem óssea, levando a uma significante perda de massa óssea e aumento do risco de fraturas (NIEVES, 2005).
Diversos estudos onde foi feita a suplementação destes dois nutrientes em conjunto mostraram uma redução de 16% a 43% nas fraturas ósseas (LARSEN et al., 2004; CHAPUY et al., 1992).
Dessa maneira é importante uma ingestão regular de alimentos fonte de cálcio e vitamina D, associados a uma dieta saudável, principalmente na infância e adolescência, períodos nos quais o processo de formação óssea está mais ativo.
Mas vale ressaltar que essa orientação também é valida para as outras etapas da vida, uma vez que o cálcio é perdido todos os dias em grandes quantidades. Se, porventura sua perda não for compensada em quantidades iguais, o corpo retira o cálcio que está no osso para ser utilizado (FLYNN, 2003).
Para cada etapa da vida o organismo tem uma necessidade específica de cálcio e vitamina D, confira conforme descrito na tabela abaixo:
Recomendações de ingestão diária de cálcio e vitamina D, segundo o sexo por faixa etária. 
Faixa etária
Cálcio (mg/dia)
Vitamina D (µg/ dia)
Sexo Feminino
Sexo Masculino
Sexo Feminino
Sexo Masculino
0 a 6 meses
210
210
5
5
7 a 12 meses
270
270
5
5
1 a 3 anos
500
500
5
5
4 a 8 anos
800
800
5
5
9 a 13 anos
1300
1300
5
5
14 a 18 anos
1300
1300
5
5
19 a 30 anos
1000
1000
5
5
31 a 50 anos
1000
1000
5
5
51 a 70 anos
1200
1200
10
10
Acima de 70 anos
1200
1200
15
15
Fonte: Dietary reference intakes for calcium, phosphorous, magnesium, vitamin D, and fluoride (1997).
Recomendações de ingestão diária de cálcio e vitamina D, para gestantes e lactantes
       
Faixa etária
Cálcio (mg/dia)
Vitamina D (µg/ dia)
Gestante
Lactante
Gestante
Lactante
Menos de 18 anos
1300
1300
5
5
19 a 30 anos
1000
1000
5
5
31 a 50 anos
1000
1000
5
5
Fonte: Dietary reference intakes for calcium, phosphorous, magnesium, vitamin D, and fluoride (1997).
Estudo feito com 168 mulheres na pós menopausa, demonstrou que após 1 semana as mulheres que receberam dieta composta principalmente por alimentos lácteos, comparadas as que só ingeriram suplementos de cálcio, tiveram maior densidade óssea e uma melhora no metabolismo do estrogênio com uma maior produção de substâncias que estão relacionadas à síntese deste hormônio que favorece a fixação do cálcio nos ossos (NAPOLI et al, 2007).
Por isso o Ministério da Saúde recomenda a ingestão de 3 porções diárias de leite e derivados para garantir um desenvolvimento ósseo adequado e prevenção da osteoporose. Além de recomendar também exposição diária ao sol em horários próprios e a prática regular de atividade física.
Principais fontes de Cálcio e Vitamina D
Na alimentação diária aproximadamente 70% do cálcio provém do leite e seus derivados (queijo, iogurte, requeijão, etc). Somente poucos vegetais, em especial os verde-escuros e algumas frutas secas, são boas fontes deste mineral, representando 16% da dieta, e a água inclusive as minerais, contribuem com 6 a 7% da ingestão do nutriente. Sendo assim conclui-se que a melhor fonte de cálcio está nos laticínios, destacando-se os queijos (ANTUNES & PACHECO, 2009).
Além de serem ricos em cálcio, os queijos também contém outros nutrientes que estão diretamente ligados à saúde óssea como a vitamina D, proteínas, fósforo, magnésio, potássio, zinco e vitaminas A, C e K (NATIONAL DAIRY COUNCIL, 2007).
Vale ressaltar também que o cálcio presente nestes alimentos é bem absorvido pelo organismo, com uma biodisponibilidade que varia de 17% a 43%. Isto se deve ao fato dos queijos conterem lactose, proteínas e fosfopeptídeos, substâncias que favorecem a absorção do cálcio pelo organismo (ANTUNES & PACHECO, 2009).
A maior fonte de vitamina D está na pele, local onde é sintetizada através da ação dos raios solares ultravioletas. Dentre os alimentos que são boas fontes desta vitamina estão os peixes como o arenque e a cavala, gema de ovo, manteiga e miúdos como o fígado (ANTUNES & PACHECO, 2009; OLIVEIRA & MARCHINI, 1998).
A Tirolez Queijos é uma empresa que se preocupa em fornecer aos seus consumidores produtos nutritivos, saborosos e de excelente qualidade.
Em nossa linha de produtos temos uma grande variedade de queijos que atendem as necessidades de nossos diversos consumidores e clientes.
Como o cálcio é um nutriente importante na prevenção da osteoporose, criamos uma tabela que apresenta o teor de cálcio presente nos queijos da Tirolez, para facilitar o enriquecimento do cardápio diário com este nutriente.


Queijos Frescos
Teor de Cálcio por porção
Cottage
40 mg/ 50 g
Creme de Leite
33 mg/ 30 g
Creme de Ricota
42 mg/ 30 g
Minas Frescal
189 mg/ 30 g
Minas Frescal Cremoso
119 mg/ 30 g
Minas Padrão
222 mg / 30 g
Minas Padrão Fracionado
285 mg/ 30 g
Processador Cheddar
103 mg/ 30 g
Requeijão
18 mg/ 30 g
Ricota Fresca
68 mg/ 30 g
Queijos Light
Teor de Cálcio por porção
Minas Frescal Light
314 mg/ 30 g
Minas Padrão Light
360 mg/ 30 g
Requeijão Light
24 mg/ 30 g
Requeijão Light com Fibras
24 mg/ 30 g
Queijos para Fatiar
Teor de Cálcio por porção
Mussarela
358 mg/ 30 g
Prato
304 mg/ 30 g
Queijos Defumados
Teor de Cálcio por porção
Provolone
409 mg/ 30 g
Queijos Especiais
Teor de Cálcio por porção
Bleu de Bresse
165 mg/ 30 g
Brie Fôrma
192 mg/ 30 g
Brie Triângulo
246 mg/ 30 g
Camembert
189 mg/ 30 g
Edam
344 mg/ 30 g
Emental
394 mg/ 30 g
Estepe
306 mg/ 30 g
Gorgonzola
180 mg/ 30 g
Gouda
370 mg/ 30 g
Grana
348 mg/ 30 g
Gruyère
283 mg/ 30 g
Parmesão
370 mg/ 30 g
Prato Esférico (Bola)
253 mg/ 30 g
Reino Cry-o-vac
368 mg/ 30 g
Reino Lata
358 mg/ 30 g
Fondue Tirolez
161 mg/ 30 g
Queijos – Aliados no combate à obesidade

Elaborado por: Carolina Borges Duarte – Nutricionista CRN3. 21567
A obesidade é um distúrbio nutricional no qual ocorre acúmulo excessivo da gordura corporal, resultado de uma ingestão calórica maior que o gasto energético diário, associada a defeitos de regulação do peso corporal.
A obesidade tem sido um problema de saúde pública na atualidade, uma vez que tem afetado todas as faixas etárias de ambos os sexos, nas diversas classes sociais.
No Brasil atualmente, 12,7% das mulheres e 8,8% dos homens adultos são obesos, ocorrendo com maior intensidade nas regiões Sul e Sudeste do país. Esta tendência de aumento da obesidade foi registrada para os homens e mulheres de todas as faixas de renda, no período de 1974 a 1989. No período seguinte (1989-2003), os homens continuaram apresentando aumento da obesidade independentemente de sua faixa de renda, enquanto, entre as mulheres, somente aquelas com baixa escolaridade e situadas nas faixas de renda mais baixas (entre as 40% mais pobres) apresentaram este aumento (1).
Já entre crianças e adolescentes brasileiros, verifica-se aumento do excesso de peso em ritmo acelerado: em 1974, observava-se uma prevalência de excesso de peso de 4,9% entre as crianças entre 6 e 9 anos e de 3,7% entre os adolescentes de 10 a 18 anos. Já entre 1996 e 1997, observou-se 14% de excesso de peso na faixa etária de 6 e 18 anos em nosso país (2).
Um fator que deve ser levado em consideração é que a obesidade, ainda mais a deposição de gordura na região abdominal, promove o desenvolvimento de doenças cardiovasculares (hipertensão, dislipidemias – colesterol elevado ou triglicérides elevado), diabetes e gota.
COMO PERDER PESO?
Adote hábitos alimentares saudáveis e tenha isso como seu principal objetivo, não fique tão focado em controlar as calorias ou diminuir a gordura corporal, procure fazer com que o processo de emagrecimento aconteça gradativamente.
As mudanças dos hábitos alimentares juntamente com o a prática de atividade física serão decisivos para a perda de peso, resultando numa reeducação alimentar e melhora do seu estilo de vida.
O PAPEL DOS QUEIJOS NA PERDA DE PESO
Vários estudos têm mostrado o papel importante dos queijos e produtos lácteos no processo de perda de peso, eles sugerem que o aumento da ingestão de produtos lácteos ou nutrientes como cálcio e vitamina D auxiliam na prevenção do ganho de peso como também na manutenção do peso corporal.(3-4)
Têm-se verificado também uma relação inversamente proporcional entre ingestão de cálcio e ganho de peso corporal, ou seja, uma alta ingestão de cálcio resulta num menor ganho de peso e gordura corporal. (5)
O cálcio presente nos queijos atua neste processo aumentando o gasto energético através de um controle hormonal e aumento da oxidação de lipídios. O cálcio também está relacionado a uma diminuição da absorção de ácidos graxos no intestino através da formação de sais de cálcio e aumento da saciedade.(6-7)
Desta maneira, a ingestão diária de 3 porções de queijos ou produtos lácteos (1000 a 1400mg de cálcio) associados a uma dieta saudável e prática de atividade física, auxilia na prevenção da obesidade, manutenção do peso corporal e qualidade de vida.
Veja abaixo o teor de cálcio presente nos queijos produzidos pela Tirolez Queijos, um importante indústria brasileira de laticínios que em 2010 completou seu 30º aniversário.
Teores de cálcio dos queijos Tirolez
Produto
Cálcio
Bleu de Bresse
 -
Brie
 -
Camembert
 -
Cottage
40 mg / 50 g
Creme de leite
33 mg / 30 g
Creme de Ricota
42 mg / 30 g
Edam
344 mg / 30 g
Emental
394 mg / 30 g
Estepe
306 mg /30 g
Fondue
161 mg / 30 g
Gorgonzola
180 mg/ 30 g
Gouda
370 mg / 30 g
Grana
348 mg/ 30 g
Gruyère
283 mg / 30 g
Manteiga
3 mg / 30 g
Minas Frescal
189 mg / 30 g
Minas Frescal Cremoso
119 mg / 30 g
Minas Frescal Light
314 mg / 30 g
Minas Padrão
222 mg / 30 g
Minas Padrão Fracionado
285 mg / 30 g
Minas Padrão Light
360 mg / 30 g
Mussarela
358 mg / 30 g
Mussarela Light
 -
Parmesão
370 mg / 30 g
Prato
304 mg / 30 g
Prato Esférico (Bola)
253 mg / 30 g
Prato Light
 -
Processado Cheddar
103 mg / 30 g
Provolone
409 mg / 30 g
Reino Cry
368 mg / 30 g
Reino Lata
358 mg / 30 g
Requeijão
18 mg / 30 g
Requeijão Light
24 mg / 30 g
Requeijão Light com Fibras
24 mg / 30 g
Ricota
68 mg / 30 g

Nenhum comentário:

Postar um comentário