Como estimular as crianças a lerem mais

|
 A psicóloga, psicopedagoga e diretora do Colégio Global Eliana de Barros Santos ensina

 como os pais devem incentivar os filhos a despertar interesse nos livros. Confira!

Pais e filhos lendo juntos

Dê exemplos dentro de casa
Para formar bons leitores dentro de casa, os pais devem dar exemplos e facilitar o acesso das crianças a livros, revistas, jornais, e-books, entre outros. “Se a criança observa os pais lendo, ela vai tentar reproduzir e copiar esse comportamento. Ela será uma leitora natural, pois vê em seus pais o prazer da leitura”, aponta Eliana. Deixar os livros em local acessível ou combinar com as crianças em fazer uma “hora da leitura” em família também influencia no desenvolvimento de futuros leitores.
Ela ainda completa que os pais só devem falar sobre os benefícios da leitura se eles também forem bons leitores. “O discurso sobre os benefícios da leitura precisa estar acompanhado ao modelo, senão será um discurso vazio e não surtirá o efeito desejado. Criança vê, criança faz: essa é a melhor receita!”, completa a psicopedagoga.
O papel da escola
Não é só dentro de casa que deve existir o incentivo à leitura: a escola também deve se preocupar – e muito – com essa questão. E, da mesma forma que os pais devem fornecer materiais necessários para que as crianças criem interesse nos livros, a escola deve facilitar o acesso a obras apropriadas para cada idade.
“A preocupação atual é com o nível dos professores/leitores. Se o professor for um apaixonado pela leitura, ele terá facilidade em cativar seus alunos e levá-los com prazer no caminho da leitura, mas a nova geração de professores nem sempre se apresenta com boa formação na leitura. A escola pode e deve sensibilizar seus profissionais para que se aproximem da leitura de boa qualidade”, comenta a educadora.
Os melhores livros para os jovens
São inúmeros títulos que podem fazer com que os jovens criem gosto pela leitura. O importante é que ele se identifique com o que está lendo, para que tenha vontade de buscar novos títulos.  “A leitura é como uma pesquisa, cheia de caminhos a serem descobertos. Não existe o único caminho correto, existem atalhos interessantes e caminhos ainda não percorridos, que reservam boas e agradáveis surpresas”, afirma a psicopedagoga.
Os pais não devem descartar a ideia de que os tablets, computadores e celulares podem ser ótimos aliados dos jovens para buscar conhecimento. “A literatura não está só no papel. A internet pode ser um bom caminho para os jovens leitores, é preciso acabar com o preconceito sobre a leitura digital e o mundo da web. Pensar na literatura ligada unicamente a livros, jornais e revistas é prejudicial para desenvolvermos bons leitores na época atual”, revela Eliana.

Consultoria: Eliana de Barros Santos, psicóloga, psicopedagoga e diretora do Colégio Global –www.colegioglobal.com

Um comentário: